A minha vida imita a minha arte

Espero que gostem
das nossas imitações
colocadas em palavras
virgulando, reticenciando
Nossos mergulhos
Nessa loucura chamada
Pensamento

Luciana Gaffrée

sexta-feira, 18 de maio de 2007

Ada

Ada
De tão longe posso sentir
Que você já deve estar enjoada
De ficar assim tão quieta, calada
Puxa vida
Onde já se viu Dona Ada parada?
Porque conheço bem você
E sei bem como é
Afinal,
Cada luta sua foi uma vitória
Cada Candido uma inspiração
E nos momentos de paz
O verde de Itaipava pulsava o seu coração
Um coração bem diferente
Deste outro que parou
Um coração de vida
Uma vida que é uma mistura
Porque
Você está no meio de nós
E é nessa mistura
Que seguimos o nosso destinho
De família apaixonada
De Candido
De Ada

(escrito em 2 de setembro de 1999, para Ada Gaffrée)

Um comentário:

Candido disse...

Filha

Linda poesia demonstrando todo o amor que você lhe dedicava e quanta falta ela nos faz.

Beijos